TERCEIRA IDADE EM PORTUGAL CONTACTAM MAIS COM AMIGOS


Estudo destaca Portugal como um dos países europeus em que os idosos contactam mais com amigos

Portugal encontra-se entre os cinco países europeus em que os idosos têm mais contactos com amigos, segundo o estudo "Envelhecimento da População Portuguesa: dependência, ativação e qualidade", do Conselho Económico Social (CES).

Com o aumento da idade, é também maior a percentagem de pessoas que não têm relações de amizade por vários motivos, como morte dos amigos e dificuldade de os substituir ou encontrar novas amizades.

"Em cerca de metade dos países europeus, uma em cada 10 pessoas com 65 e mais anos não têm qualquer ligação com amigos, nem pessoalmente nem por qualquer outra forma de contacto", diz o estudo, que será apresentado, na quarta-feira, no seminário do CES "Envelhecimento da população: consequências económicas, sociais e organizacionais".

Porém, a família e parentes desempenham um papel maior na prevenção do isolamento nas idades mais avançadas.

Portugal encontra-se "numa situação confortável em relação à maioria dos restantes países da Europa, na medida em apenas cerca de dois por cento da população de 65 e mais anos não tem contacto com amigos", refere o estudo, que cita dados do Eurostat relativos a 2010.

Figura ainda entre os cinco países com maiores relações de amizade para o grupo etário de 65 e mais anos, embora acima dos outros grupos etários.

Analisando o isolamento dos idosos e o facto de não obterem qualquer ajuda, o estudo constatou que este indicador não é agravado pela questão da idade, sobretudo se se comparar com o indicador da relação com os amigos.

Em relação a Portugal, a idade não afeta grandemente a existência de ajuda, encontrando-se, a nível dos países membros da UE, em terceiro lugar, "o que mostra a existência e a importância de redes informais de solidariedade (familiares, amigos e vizinhos).

Contudo, a situação de idosos a viverem sós, em Portugal, "não é homogénea em todo o território, apresentando diferenças significativas".

Citando dados do Censos 2011, a análise refere que cerca de 1,2 milhões de pessoas com mais de 65 anos viviam sós e perto de 800 mil viviam com outra pessoa idosa.

No Continente, é na região de Lisboa onde se encontram mais idosos a viverem sós (22,3%), seguindo-se o Alentejo (21,9%) e o Algarve (20,7%).

Quanto aos idosos que vivem exclusivamente com outros idosos, a região do Alentejo é aquela onde a percentagem é maior (43,5%), seguindo-se a Região Centro (42,9%) e a Região do Algarve (41,2%), indica o estudo, encomendado pelo CES à Universidade Católica Portuguesa e cofinanciado pelo Programa Operacional Assistência Técnica do Fundo Social Europeu (POAT-FSE).

O estudo refere ainda que, na União Europeia, a média dos entrevistados que discordam de os idosos constituírem um fardo para a sociedade eleva-se a 85%, variando entre 66% na Lituânia e 95% nos Países Baixos. Em Portugal situa-se nos 88%.

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=661003&tm=8&layout=121&visual=49