A ARQUITETURA DE HOTEIS PARA IDOSOS


Quando falamos em acessibilidade, logo associamos a imagem de um cadeirante ou um portador de necessidades especiais. Muitas vezes deixamos de incluir o idoso como um dos principais interessados nesse assunto. 


Com o passar dos anos, nossas habilidades motoras ficam comprometidas devido à diminuição da força muscular e o comprometimento da locomoção, tornando as tarefas do cotidiano ainda mais difíceis de serem realizadas.

Muitas vezes os idosos não admitem suas limitações e temem um dia precisar de auxílio de outra pessoa. Uma “desculpa camuflada” para convencê-los a mudar essa nova etapa é fazer uma reforma ou pequenos ajustes, de modo que a casa seja adaptada a novas condicionantes que possam vir a surgir.

Um ambiente acessível e adaptado proporciona ao idoso uma vida autônoma e de qualidade e, pequenas alterações podem significar grande ganho de conforto e segurança, conciliando funcionalidade e beleza.

Soluções simples como a utilização de pisos antiderrapantes, móveis com rodízios, puxadores anatômicos e barras de apoio localizados na altura correta proporcionam maior independência ao idoso, aumentando assim a autoestima dos portadores da melhor idade.

Os móveis devem ser distribuídos de modo a facilitar a circulação, prevendo portas de 80cm e corredores de 90cm (no mínimo) para garantir conforto e também a passagem de cadeiras de rodas.

Segundo o Ministério da Saúde, mais de 80% dos casos de quedas de idosos acontecem dentro de casa. Devido à dificuldade motora, muitos idosos não conseguem se levantam após a queda. Isso pode ser resolvido com um botão de pânico, que é instalado a uma altura de 40cm do chão, onde o idoso pode acioná-lo caso precise de ajuda.

É interessante deixar livre os espaços embaixo de pias e bancadas, permitindo o encaixe de cadeira para que o idoso possa trabalhar sentado. A mesa de centro se transforma e em mesa lateral e deixa de ser um obstáculo para o idoso.Devido à fraca resistência, é conveniente prever postos de suporte em locais estratégicos, onde o idoso pode descansar ao longo do percurso realizado em sua própria casa.

Nos quartos e salas, as colchas e almofadas são responsáveis por disfarçar o aspecto hospitalar de alguns móveis (camas e cadeiras articuladas) e proporcionam aconchego ao espaço. Cores e tecidos alegres suavizam o ambiente e proporcionam movimento, deixando o espaço confortável e divertido, afinal “velhinhos são crianças nascidas faz tempo”.