O SUCESSO DOS FILMES SOBRE A TERCEIRA IDADE


Recentemente, os filmes sobre a terceira idade tem trilhado um caminho semelhante aos dos filmes de animação, que na década de 2000 conquistaram recordes de espectadores e respeito em premiações internacionais. No Oscar deste ano, o vencedor de Melhor Filme Estrangeiro foi o comentado Amor, de Michael Haneke, um retrato duro sobre o envelhecimento.

A vitória era dada como certa e, na festa da entrega do Oscar este ano, o filme Amor, do diretor austríaco Michael Haneke, confirmou as expectativas e levou a estatueta de Melhor Filme Estrangeiro.
 
Haneke é um diretor respeitado, mas o que chamou atenção foi a temática do filme, que aborda de forma extremamente realista as dificuldades do envelhecimento. A protagonista do filme, Anne, é interpretada pela atriz francesa Emmanuelle Riva, de 84 anos, que foi indicada a melhor atriz. Não levou, mas entrou para a história como a mais idosa a receber uma indicação.

Michael Haneke é famoso pelo tom seco e direto em seus filmes, como no anterior “A Fita Branca”, que também havia sido indicado ao Oscar. Amor é um nocaute emocional. A história se passa em um apartamento em Paris, e os personagens Georges (Jean-Louis Trintignant) e Anne são confrontados com a dura realidade que se inicia após o diagnóstico de uma artéria carótida entupida em Anne, que a leva a uma cirurgia não muito bem sucedida. Em casa, Georges ajusta-se para cuidar da esposa, lúcida e incomodada com sua situação atual de limitação de movimento. Na primeira cena do filme, o diretor já mostra o final da história, o que vai ser contado, então, é a passagem do tempo até aquele momento inicial.

Bem mais leve, mas muito comentado, o tocante filme francês E Se Vivêssemos Todos Juntos? aborda também a questão do envelhecimento e a dificuldade em manter a independência por alguns idosos. O roteiro usa do humor para tratar do delicado tema e conta com ótimos atores, como a atriz Jane Fonda. O filme não se furta em abordar temas geralmente excluídos dessas produções, como a questão da sexualidade na terceira idade.

Isto é um fator que também chama a atenção. As abordagens sobre a velhice mudaram. O filme Cocoon, de 1988, fez sucesso ao colocar a terceira idade como protagonista, mas o filme tinha como pano de fundo uma missão alienígena à Terra. Hoje, os atores idosos tornaram-se protagonistas absolutos das histórias e as temáticas estão voltadas para os desafios do envelhecimento com qualidade de vida.

Uma das razões para boom dos filmes sobre a terceira idade pode ser justamente o aumento da população idosa no mundo, que somente na última década ganhou mais de 170 milhões de pessoas, segundo dados da ONU, que estima que em 10 anos haverá 1 bilhão de idosos.

Alguns filmes sobre a terceira idade:


O Exótico Hotel Marigold (Reino Unido, 2012)
O Curioso Caso de Benjamin Button (Estados Unidos, 2008)
Chega de Saudade (Brasil, 2007)
Depois Daquele Baile (Brasil, 2006)
As Invasões Bárbaras (França/Canadá, 2003)
Garotas do Calendário (Reino Unido, 2003)
O Filho da Noiva (Argentina, 2002)
As confissões de Schimidt (Estados Unidos, 2002)
Copacabana (Brasil, 2001)



http://www.aterceiraidade.com/arte-e-cultura/o-sucesso-dos-filmes-sobre-a-terceira-idade/



.