TURISTAS DA TERCEIRA IDADE ESTAO DISPOSTOS A CONHECER O BRASIL

Quem são os turistas da terceira idade
e porque eles são uma boa oportunidade para o setor


O público da terceira idade está disposto a conhecer o Brasil. De acordo com o Ministério do Turismo, turistas com mais de 60 anos fizeram pelo menos 18 milhões de viagens no ano passado, um aumento de 11% nos últimos quatro anos.

A presença cada vez maior desse público em hotéis, restaurantes e pontos turísticos tem mudado a estratégia de venda das agências de viagem, a forma de receber os turistas e impulsionado a visitação em destinos com vocação para a atender a terceira idade.

Prova disso é que os idosos já respondem por 15% da carteira de clientes das agências de viagem. Os gostos variam muito e são bem ecléticos, como roteiros culturais, de praia e de compra, de acordo com a Associação Brasileira das Agências de Viagens.

Ao contrário dos mais jovens, os turistas mais experientes costumam ter disponibilidade para viajar em períodos de baixa ocupação e a maioria(70%) tem independência financeira, de acordo com o Banco Mundial.

O mercado, ao que parece, já se adaptou aos viajantes mais velhos. A empresária Ana Faria, de São Paulo, se especializou em vender pacotes de viagem para a terceira idade.

“Preparei catálogos bem completos, já que boa parte dos meus clientes gosta de manusear o material de divulgação”, afirmou.

A agência oferece guias treinados para lidar com esse público e atentos a tudo aquilo que é importante nessa faixa etária: meios de hospedagem adaptados, transporte de qualidade e assistência 24 horas.

Ser bem tratado, aliás, é o que faz o engenheiro aposentado Aparício Mattos Rocha, de 77 anos, repetir os meios de hospedagem. Ele faz cerca de cinco viagens por ano, de norte a sul do país. Todas de carro. A maioria, para visitar parentes.

“Gosto de conhecer os lugares do trajeto, vou parando aqui e ali, de modo que o deslocamento é também uma grande atração”, disse.

E continua: “Como sou dono do meu tempo consigo evitar os períodos mais cheios e ter só a parte boa da viagem, sem pagar caro pelo passeio e sem o estresse do trânsito”, afirmou.

De acordo com o boletim mensal que mede a intenção de viagem do brasileiro, realizado pelo Ministério do Turismo, boa parte dos idosos (32%) está disposto a arrumar as malas pelos próximos seis meses.

Entre o público que têm até 35 anos, a intenção de viajar se reduz a 22% pelos próximos seis meses.

“São viajantes com disposição, tempo e recursos para investir”, afirma o ministro do Turismo, Vinicius Lages. Os idosos já representam 20% do poder de compra do país, segundo o Banco Mundial.

A estimativa é de que em 10 anos sejam 16% da população brasileira, número que pode dobrar até 2060, segundo o IBGE.