O IDOSO QUANDO NAO TEM DINHEIRO, É DESCARTADO PELAS FAMILIAS, LAMENTA JUIZA

Juíza e escritora, Andréa Pachá trabalhou por vinte anos em varas de família. Com base em sua experiência, ela vai falar, quarta-feira, na Casa do Saber O Globo, sobre as novas relações familiares, incluindo aí drásticas mudanças no que diz respeito aos idosos. Andréa conversou com Fernanda Pontes.

O que mudou na relação das famílias com os idosos?

Elas se transformaram nos últimos 25 anos, mesmo período em que o envelhecimento aumentou. Avançamos no reconhecimento dos direitos, mas a velhice não é encarada com a naturalidade que merece.

Por que não?

As casas estão menores, as pessoas têm menos tempo para dedicar à família. Fora que o poder aquisitivo das aposentadorias diminuiu. Em muitos casos, o idoso, quando tem dinheiro, se responsabiliza pelo sustento dos netos. Quando não tem, é descartado. Sem falar nos casamentos entre homens mais velhos e mulheres mais jovens, turbinados pelo efeito Viagra. São muitas mudanças.

Quanto mais velho, mais difícil a vida, é isso?

Muitas famílias têm procurado a Justiça para interditar os mais velhos. Às vezes, são brigas horríveis entre irmãos, que iniciam a disputa sucessória com os pais ainda vivos. O desafio tem sido fortalecer a autonomia dos idosos e protegê-los quando estão vulneráveis.



http://blogs.oglobo.globo.com/gente-boa/post/o-idoso-quando-nao-tem-dinheiro-e-descartado-pelas-familias-lamenta-juiza.html?utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_campaign=O%20Globo